Covid e Mergulho – Parte 2

Covid e Mergulho – Parte 2

Caros, em função da repercussão do post anterior sobre a Covid e mergulhadores, valem aqui alguns esclarecimentos do que eu penso, sobre como lidar com a situação:

1. Uma grande maioria de pessoas só saberá que teve Covid por sorologia. Daonde nenhuma preocupação para o mergulho

2. Uma grande parte dos infectados terá sintomas muito leves. Eu procuraria um médico, para discutir opções, se estiver nos grupos de risco, durante o quadro. Não vou entrar no mérito da questão terapêutica, pois não cabe a mim. No mais, é de foro íntimo de cada um. Agora, se a virose evoluir sem sintomas respiratórios, nenhum problema para a volta ao mergulho

3. uma parte pequena terá sintomas respiratórios leves. O que fazer para retornar ao mergulho? Dar tempo!! A partir do momento que estiver praticando exercícios sem dificuldade, discutir com seu médico à volta ao mergulho. Cabe a ele decidir que e se exames serão necessários

4. Pessoas que tiveram quadros mais sérios terão de ser olhadas com uma lupa. Mas sem uma sentença prévia. Agora imagino alguém que esteve internado, entubado, já pensando em mergulhar, e concluo, mergulhadores são uma espécie à parte. Do bem!!

5. O tal famigerado relato (porque não foi um estudo, apenas uma observação de casos) pecou em diversas coisas. Ao mencionar o uso de misturas de ar enriquecido no mergulho causando lesões pulmonares, foi genérico e mostrou desconhecimento. A
Toxicidade pulmonar por oxigênio ocorre por baixas pressões de oxigênio, por muito tempo. Pessoas que fazem tratamento em câmara hiperbárica, são monitoradas, através de “dose de oxigênio”, a famosa UPTD. Num mergulho recreativo com nitrox, a dose é irrisória.

Enfim, esclarecendo alguns pontos e lembrando a todos. Vai passar!!